quinta-feira, 25 de abril de 2013

Recomeço


 
Ela vai embora sem nunca ter estado realmente. Anos de uma ausência anímica, imperceptível para quem vê a uma distância segura. Do lado de fora do cárcere.
Ela vai embora e não olhará para trás, não por medo de voltar ao pó. A desconhecida sabe simplesmente que já leva consigo tudo o que importa.
E agora rompe o casulo, expande suas asas e desprende-se do lugar a que nunca pertenceu.
Finalmente o sol, depois de tanta escuridão a adiar-lhe os sonhos.
Ela mira o horizonte e voa sem medo do inalcançável.

domingo, 14 de abril de 2013

Descaminho

                        
                         
                              Tantos
                  passos
        para
trás
                                           que eu já nem sei
                                           se ainda vale a pena
                                                                               seguir em frente...