terça-feira, 10 de setembro de 2013

Être gauche


Os ombros curvados suportam o mundo,

enquanto a poesia devora-lhe as entranhas.

Mundo mudo, desnudo, tão vasto

que a bússola dos sonhos desencontra todos os nortes...

Que solução senão a rima

que eclode de um coração fingidamente devastado?

Para que solução se é o desvio

que rege o poeta gauche?

Nenhum comentário:

Postar um comentário