quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Incompletude



Insuficientes. O dinheiro. O status. O amor. A vida. A constante busca por mais e mais e mais. E então, frustração. O mundo tão cheio de cavadores do infinito e tão vazio do mundo que deveria importar.

As lacunas nos são inerentes, é preciso conviver com elas. Aprender a ser feliz na incompletude não significa acomodar-se, mas valorizar o que se tem, o que se é.

Há quem cisme em esfregar na cara alheia uma perfeição “botoxicada”. Keep calm, a grama do vizinho não é tão verde assim.

Todos evoluem a seu tempo, a seu modo. E deixar-se guiar pela lâmpada dos sonhos não é de todo ruim sem a ânsia e os soluços pelo impossível. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário