sábado, 30 de junho de 2012

A quase felicidade


A expressão inconsolável de um copeiro ilustrou esta semana as páginas dos principais jornais do Rio. Há anos, o funcionário participava de um bolão da loteria com colegas de trabalho e, justamente no dia em que se privou de concorrer, a aposta foi premiada e cada colega recebeu R$ 635 mil. A história dos ganhadores reescrita pela sorte.

Na vida do copeiro, nada muda, além da indisfarçável tristeza por tudo o que poderia ter sido e não foi. “Para atingir faltou-me um golpe de asa,/ se ao menos eu permanecesse aquém”, irrompem os versos de Mário de Sá Carneiro, que expressam a dor da quase felicidade.

Uma decisão errada, uma oportunidade perdida, e o castelo de cartas desaba impiedosamente diante de seus olhos. O pobre copeiro continua pobre.

Mas decisões precisam ser tomadas diariamente e, na falta de bolas de cristal, arriscamos sins e nãos, conforme nossa consciência, nossas condições, a lua, a maré... De vez em quando, acertamos.

Dos erros, só devemos levar o aprendizado decorrente. Frustração e arrependimento pesam excessivamente e nos prendem cada vez mais a lugar algum. E já que não podemos mudar o passado, o melhor mesmo é seguirmos em frente.

3 comentários:

  1. Eu nem soube o que dizer desse fato. Imagina o "arrependimento" desse homem, a vontade de voltar no tempo e dizer apenas uma coisa: "sim".

    Mas a vida é feita de escolhas e cada um segue seu próprio rumo.

    ResponderExcluir
  2. Que tristemente lindo, Marcia! Quanto me doeu essa notícia... De uma coisa há certeza: a bolões e loterias, nunca digo não. :-) Vai que... Vai que, permanecendo mais aquém, a felicidade me dá o braço e resgata do município, hehehe... Beijos e parabéns pelo ótimo texto!

    ResponderExcluir
  3. Gente , sua introdução jornalística tá perfeita ! Ja pensou em mandar esse texto para algum lugar? Muito perfeito, sem palavras para distinguir a semântica dos fatos em sintonia com todo o ar emotivo que você colocou em suas palavras. Por isso eu digo: na vida, nunca devemos desistir e sempre persistir . Um dia o jogo pode virar! Beeijo, adorei viu?

    ResponderExcluir