terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Brincando com os sons

Segredos segregados,
soturnos, solitários,
sabem-se suspeitos,
sibilando sempre.


Injúrias insolentes,
inspiradas, inocentes,
investindo intragáveis
insultos imutáveis.


Opulência, oráculos,
ordem, obstáculos
ornamentam ocasiões
ossificadas.


Quem quer questionar quatis?
Como cantar calado?
Muitos mistérios movem mundos.
Pouca poeira para parvos poetas.

8 comentários:

  1. Amei , muito lindo Márcia, inspirador .

    ResponderExcluir
  2. Belo poema, mas gostei mesmo foi do texto anterior, simples e profundo! como tudo que é belo deve ser!
    Parabéns, você será uma ótima escritora.
    Espero sua visita!!!

    www.anjoguerreirodeluz.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, é sempre bom ler palavras de incentivo.
      Vou passar lá no seu blog!

      Excluir
  3. Perfeita a aliteração de ''in''...gostei muito..Mas sabemos que há cantar calado...Rsrsr..Claro que há!
    Seguindo..
    http://escritordebrinquedo.blogspot.com/2012/02/corcunda-do-calumbi.html

    ResponderExcluir
  4. Que lindo poema! A sintaxe, o léxico... tudo perfeitamente explorado! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada a todos pela participação e incentivo.

      Excluir
  5. Oi marcinha , voltei para te avisar das novidades lá www.spiderwebs.tk . Beijinho!

    ResponderExcluir
  6. lindas palavras
    seguindo


    beijos e bom domingo!

    http://karoladelotus.blogspot.com/

    ResponderExcluir