sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

É só querer?

A espera pelo novo ano. A ceia, os trajes brancos, as superstições, os fogos de artifício, todo o ritual executado com perícia para saudar 2012. A esperança renovada por uma mera mudança no calendário. “Nesses novos dias, as alegrias serão de todos, é só querer”, afirma a canção global, depositando em nossos ombros a total responsabilidade por nossos destinos.

Os vencedores quiseram mais do que os fracassados? Os saudáveis mais do que os doentes? Os ricos mais do que os pobres? É tudo uma questão de querer?

Há muito mais entre o desejo e a realização do que sonha a nossa vã filosofia. A vitória não se determina somente por dedicação, fé e persistência, mas também por um golpe de sorte, uma boa rede de contatos ou recursos financeiros.

É comum ouvirmos os relatos de quem venceu na vida, de quem saiu do fundo do poço, levantou a poeira e deu a volta por cima, mas quantos ficaram pelo caminho?

Os miseráveis, os excluídos estão aí, pelo mundo, envergonhados com os dedos que lhes apontam (nunca mãos que lhes estendem). Você não quis o suficiente. Você não lutou o bastante. Você não teve fé.

É mais cômodo atirar-lhes o fardo, virar-lhes as costas e seguir nosso caminho promissor, orgulhosos por termos feito por merecer.

Um comentário:

  1. Belíssimo texto, Marcia. Parabéns mesmo!
    Gostaria de convidar-te a visitar meu blog e de um outro amigo sobre poesias: http://neologismopoetico.blogspot.com/

    Beijos e fique com Deus!

    ResponderExcluir